Alexandre de Moraes teve apadrinhamento político para assumir o STF e descaradamente barra Ramagem por assumir cargo público | hipocrisia barata






O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes suspendeu a nomeação de Ramagem por meio de uma decisão monocrática, alegando desvio de finalidade, ele [Moraes] também deveria colocar em pauta sua indicação no ano de 2017 quando ocupou cargo público.

Alexandre de Moraes antes de tomar posse como ministro da Justiça e consequentemente ministro da suprema corte, teve reuniões particulares com pessoas que integravam o PMDB hoje MDB, bem como também teve contato com membros do PSDB, seu ex-partido.





Nesse período, Alexandre de Moraes era secretário de Estado de Segurança Pública do governo do então governador Geraldo Alckmin, porém já pensava em sua ida para o DF em Brasília através de articulações políticas.

Moraes tinha medo que sua aproximação com o PSDB pudesse lhes trazer problemas em algumas das suspeiçoes previstas no art. 145 do CPC, o que impossibilitaria  sua nomeação para o STF. A cúpula do centrão, no entanto, recebeu o jurista com afinco pois ele representava uma coalizão de forças ao então presidente da República Michel Temer.

O jeitinho brasileiro, ou homem cordial defendido pelo historiador Sérgio Buarque de Holanda, foi impregnado nas decisões de Moraes, mas mesmo assim, ele persegue Ramagem.

Vamos ficar de olho nessa situação sinistra por parte do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes.






Compartilhe e alcance mais pessoas:

Siga-nos no Twitter:



Fechados com Bolsonaro! 🇧🇷🤝
Grupo Público · 9.049 membros
Participar do grupo