Nosso Brasil nunca será Cuba | Veja a relação dos militantes de 1964 e o Governo Patrioata de Bolsonaro





Antes dos militares salvarem o país das garras do comunismo, que já  estava surtindo efeitos aqui no Brasil em 1964, por ocasião das gurreilhas impostas por Fidel Castro e Che Guevara, o país vivia um caos total sob a liderança do então presidente esquerdista João Goulart (PTB), os generais tiveram que agir com garra e competência, contra os revoltosos.

Foi preciso os generais tomarem o poder e impor a ordem e a democracia, depois da fuga de Jango.





O marechal Castelo Branco, foi o primeiro presidente do mais novo sistema de governo, desde a era Vargas, que viveu um regime um pouco parecido e que de certa forma foi amado pelos brasileiros naquele período.

Ocorre que muitos jovens do famoso ano de 1964, eram idealistas e cheios de sonhos. Pena que muitos se deixaram ser doutrinados pelo verniz ideológico esquerdista.

Muitos deles ainda vivos hoje, são totalmente depravados e se envolveram em vários escândalos de corrupção, entre eles, o chefe do PT Luiz Inácio Lula da Silva, José Dirceu, José Genuíno, Dilma, Mariguella, Carlos Lamarca entre outros...

Vários universitários, arriscaram suas próprias vidas combatendo contra os militares, como é o caso do jornalista Alexandre Garcia, que relatou em seu canal que Dilma participou de um sequestro dele e um amigo seu. Teve o caso da bomba que explodiu e decepou a perna de um cidadão de bem. Ação programada pelos componentes da VarPalmares, (grupo guerrilheiro da época).





Hoje no governo Bolsonaro, esse pessoal influência a vida de muitos jovens, inclusive são contra as medidas tomadas pelo presidente Bolsonaro, arriscando assim a vida do povo brasileiro em plena pandemia da COVID-19.

Esses jovens em 1964, não tinham fortuna. Estava nascendo ali líderes cruéis e sanguinários.

Após anos de roubo e escândalos de corrupção, muitos deles ficaram ricos e depositaram o dinheiro em paraísos fiscais.

Ocorre porém, que depois da vitória do presidente Bolsonaro na última eleição, acabou com a política de Estado, bem como com a depravada corrupção.

Muitos não sabem, mas a imprensa tinha liberdade pra falar das ações dos honrados generais, em 64 e não haviam roubos hiperbólicos como nos governos FHC e petistas.

Hoje estamos vendo um mídia esquerdista e totalmente corrompida e que virou militância dos malvados e traidores da pátria.

Os generais no ano de 1964, prendiam aqueles que eram contra a ordem e o bem estar. A polícia prendia bandidos e meliantes.

Parece piada, mas no governo Bolsonaro, a polícia por ordem de governadores e prefeitos contra o presidente, estão prendendo cidadãos de bem, que decide trabalhar e levar o pão pra sustentar suas famílias.





A militância prefere soltar criminosos nesse período de Coronavírus, como foram soltos centenas deles.

A Cuba não é aqui. A China também não. Aqui é Brasil e esse país tem um líder e seu nome é Jair Messias Bolsonaro. 

Muitos desses patrioatas que votou nele, votarão novamente em 2022. São mais de 58 MILHÕES. Aguenta coração.




.



Compartilhe e alcance mais pessoas:

Siga-nos no Twitter:



Fechados com Bolsonaro! 🇧🇷🤝
Grupo Público · 9.049 membros
Participar do grupo